O UNIVERSO


"Estes são tempos tenebrosos...

 Há discórdia entre os reinos que serve de alimento para intermináveis e violentas guerras. Os servos se levantam contra seus senhores e a nocividade da magia renasce lentamente entre a população enquanto criaturas antigas e tenebrosa caminham sobre os bosques e florestas. A peste e a fome assolam a terra e sobre nossos olhos mortais deuses antigos são despertados por ordens ocultas.

 Não há para onde correr, só a desespero e caos!

Este é o tempo em que vivemos e que agora presenciamos!"
- Relato de Sant Argentum. monge do Imperium Argos


O universo de Old Hammer é um universo caótico e tenebroso. A peste e a fome matam centenas de famílias por todos os reinos unificados. Aqueles que se arriscam em sair de seus vilarejos geralmente são mortos por criaturas horrendas que habitam bosques e florestas.

Há guerras constantes entre os reinos onde cada um busca seus próprios interesses. Alguns para expandir seu território e expor seu domínio político e religioso. Outros para manter seguro suas fronteiras de invasores selvagens.

A magia é sutil e poderosa sendo muito temida aos leigos e perigosa até pros mais experientes, já que, seu uso sempre há o risco de causar efeitos catastróficos. Seus praticantes são caçados e torturados, fazendo com que muitos resolvem se exilar longe de grandes centros urbanos, obrigando-os a viverem solitários ou em ordens místicas milenares.

Neste mundo não existe heróis. Aqui cada um tenta sobreviver ao seu modo, seja levando uma vida  pacata  dentro das cidades e vilarejos ou com insanidade o suficiente para desbravar os horrores do mundo desconhecido em busca de riquezas e prestigio como aventureiro, mercenário, pirata, explorador ou qualquer caminho que a liberdade trilhar em sua vida.


clique nas imagens para ampliar

O principal continente de Old Hammer é Arcania, sendo este um enorme continente capaz de possuir os mais diversos tipos de biomas, climas, fauna e flora que se possa imaginar.

A espécie dominante são os humanos sendo a espécie com maior diversidade cultural, linguística e religiosa espalhada por todo o continente.

Os locais com maior concentração populacional são as cidades, estas por sua vez costumam ficar distantes e isoladas uma das outras onde dificilmente uma pessoa comum se arisca em largar sua vida para se aventurar por terras desconhecidas e enfrentar os perigos de uma grande jornada
.
São ao todo 13 grandes cidades conhecidas. Seis dessas cidades são livres e independentes e ficam na região costeira do continente da qual são nutridas por uma grande atividade comercial marítima e são governadas por poderosas guildas comerciais ou famílias burguesas poderosas. As outras sete grandes cidades são capitais de reinos unificados.

Dentro destes reinos existem diversas cidades e vilarejos menores que devem servir a capital de cada reino por meio de acordos e vassalagem. A maioria são unificadas pela cultura e pelas leis e nota-se um lento crescimento comercial dentro dos reinos, cada um com suas próprias rotas comerciais.

OS REINOS UNIFICADOS


Os reinos, segundo a maioria das lendas, foram unificados pelos grandes guerreiros ancestrais que lutaram pela independência do Antigo Império, destruindo povos e tribos de selvagens inimigas e unificaram as mais fortes e fieis em um só reino sobe o domínio deste guerreiro e sua descendência que vieram a dar origem a nobreza governante. 

Após esses guerreiros unificarem cada reino foi fundada as principais cidades que serviriam de moradia para sua família e  descendentes e de onde governariam com soberania. Estas seriam as Cidades Capitais.

Cada Cidade Capital é caracterizada por possuir a maior densidade populacional, maior economia/comercio, maior força militar e por ser o local de moradia das famílias reais. As demais cidades possuem uma população menor e uma economia fraca ou regular, com uma força militar mediana, sendo essas governadas na maioria das vezes por famílias nobres antigas da região que juraram fidelidade e apoio ao rei ou por famílias nobres indicadas pelo próprio rei a reinarem naquele local.

Ainda dentro de cada reino é possível encontrar diversos vilarejos e condados pequenos. Geralmente se localizam em rotas comercias, sendo estas fundadas e administradas por guildas comerciais ou por uma família burguesa influente. Outras podem ser encontradas por regiões costeiras ou em leitos de rios da qual foram fundadas e administradas por ordens religiosas, ordens mágicas ou camponeses livres. Estes locais por serem pequenos e por geralmente serem longe das capitais possuem certa independência e autonomia, sendo que, algumas até se beneficiam da movimentação comercial de cidades maiores próximas ou das rotas comerciais em que se encontram.

A cultura, religião e língua adotado dentro de cada um dos reinos, apesar de apresentarem grande diversidade, costumam manter algum padrão unificado ou traços semelhantes. Mesmo assim quanto mais longe da capital, menor serão os traços culturais, linguísticos e culturais da vila/cidade em relação ao padrão mais adotado no reino.

Como podem perceber a maior parte dos reinos possuem uma monarquia absolutista reinante por todo território. As cidades menores desses reinos são governadas localmente por famílias nobres que também possuem poder absoluto em sua região mas que servem ao rei da capital.

Apesar dos territórios de cada reino serem extensos e abrigaram um número considerável de cidades e vilas. Boa parte das regiões permanecem inabitadas e sem muita movimentação humana. Assim, o comercio apesar de ascendente possui uma movimentação em períodos pontuais do ano da qual diversos comboios comerciais se unem com o intuito de vender suas mercadorias nas principais cidades próximas, sendo que a viajem mais curta não costuma levar menos que dois dias possuindo um altíssimo nível de periculosidade obrigando os comerciantes a recorrerem a contratação de segurança pessoal oficial do reino ou não.
(mais detalhes sobre o reino em breve)

Nenhum comentário:

Postar um comentário